Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2017

CHEGOU QUANDO?

AS VERTENTES DO MESSIANISMO

AS VERTENTES DO MESSIANISMO

Tiago Sant'Ana

No estudo passado aprendemos acerca das profecias que anunciavam o messias, o ungido de Deus. De maneira geral podemos perceber que estas surgiram em momentos de profundo desgaste emocional e de grande desesperança do povo de Deus. Muitas dessas surgiram em épocas de cativeiro ou até mesmo pós cativeiro. Buscavam renovar o animo de um povo perdido no espaço e no tempo de seu próprio território fazendo com que esses vissem mais uma vez a poderosa mão do Senhor retirando as agruras e os ressentimentos do cativeiro que prevalecia ainda em seus corações. Muitos já haviam saído do poder opressor, mas continuavam sendo assombrados pelo fantasma de suas vozes e chicotes.
Nesse capitulo veremos como o messianismo nasce no meio de um povo oprimido. Quais são suas necessidades e prerrogativas? Convido você a se lançar nessa analise sócio religiosa e deixar com que o Messias também alcance os patamares de dor e desesperança do seu coração.

1. MOVIME…

As profecias Messiânicas

As profecias Messiânicas Tiago Sant'Ana Cezar Introdução Estudaremos nesse primeiro degrau de nossa caminhada, as promessas messiânicas. Como Deus preparou tudo desde o início? E, como a percepção da promessa atravessa não apenas os circuitos judaicos, mas se eleva aos patamares da humanidade. I. Genesis 3.15: E no início de tudo...o anúncio de sua vinda Antes mesmo de existir humanidade ou a palavra escrita tomar forma entre os judeus, Deus se propõe como Salvador. E, aqui vale ressaltar que o anuncio e pré-Abraamico, isto é, o Pai de multidões, que reservaria inicialmente sua caminhada ao perímetro de Canaã, e daria a partir de seu filho Isaque, o menino da promessa e do seu neto Jacó, o enganador que se vestiu de príncipe (Israel), de onde surgiu um pequeno povo de inexpressividade territorial, mas que levaria consigo a alcunha de povo exemplo. Diferentemente do título de povo eleito que carrega aspectos etnocêntricos e xenofóbicos. O que diverge exponencialmente de um D…